Saae Aracruz/ES

Tele Atendimento 0800-2839590

Guarana

1 - SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA - (GUARANA)

 

Captação
O Sistema de Abastecimento de Água do distrito de Guaraná, tem hoje como principais fontes de produção, um manancial superficial, cujo nome é denominado Rio Araraquara, onde sua nascente está localizada em Cavalinhos, distrito de João Neiva. E dispõe ainda de outra fonte de produção subterrânea através de 01 poço artesiano cuja profundidade atinge cerca de 100 metros.

O sistema de captação através do manancial superficial, consiste de um rio, a partir do qual, é feita a tomada d'água diretamente do leito do mesmo. Em seguida passa pelo poço de sucção das bombas, onde é bombeada até a ETA. Através de 02 conjunto motobomba de 15 Cv, com vazão de 42 m³/h. A adutora de recalque de água bruta se estende até a ETA, cobrindo uma extensão de 600 metros, com um desnível geométrico igual a 25 metros, sendo constituída de tubos de PVC Dn 150 mm.

Para complementar o sistema de captação o SAAE dispõe de 01 poço artesiano, com vazão de 10,8 m³/h, cuja potência disponível é de 10 Cv respectivamente. Toda água captada através do poço é bombeada até a ETA.

A vazão atualmente captada é de cerca de 50,4 m³/h.

Tratamento
O Tratamento da água captada no manancial do Rio Araraquara, se dá na ETA, localizada no centro de Guaraná. O sistema existente de tratamento, é do tipo convencional, consistindo de uma casa de química, aerador, calha parshal, floculadores, decantador, filtros rápidos e o tanque de contato, onde é feita a desinfecção, correção do PH e a fluoretação. A capacidade de tratamento da estação é de 50,4 m³/h. Atualmente a ETA aplica os seguintes produtos para obter o padrão de potabilidade exigido pela Portaria 1469 do Ministério da Saúde: Sulfato de Alumínio Liquido, Barrilha leve, Fluorsilicato de Sódio e o Hipoclorito de sódio.

Distribuição
Atualmente a rede de distribuição de água do distrito de Guaraná possui aproximadamente 5.866 metros lineares de extensão. E atende a 887 economias, perfazendo um total de 926 ligações de água, aproximadamente 96% da população urbana é atendida com abastecimento d'água. A distribuição é feita em duas etapas uma pôr gravidade onde abastece a maior parte da população e outra através de um "Booster" para atender a 120 ligações.

 

 

2 - SISTEMA DE COLETA E TRATAMENTO DO ESGOTO - (GUARANA)

 

Rede Coletora
A rede coletora de esgoto sanitário atende atualmente a 744 economias, perfazendo um total de 717 ligações, sendo constituída de manilhas de cerâmica vitrificada no diâmetro de 150 mm e tubos de PVC, nos diâmetros de 150 mm, possui ainda cerca de 98 poços de visita (PV's). Atualmente a extensão de rede cobre uma faixa de 5.962 metros, atendendo aproximadamente 88% da população urbana. Veja as dicas de como você pode contribuir para que ela funcione normalmente.

Tratamento do Esgoto
O distrito de Guarná dispõe se um sistema de tratamento de esgoto sanitário concebido e dimensionado para realizar o tratamento em nível secundário, com taxa de eficiência de 75% da matéria orgânica removida, o desempenho operacional pode ser observado nas tabelas 1 e 2 abaixo. Tudo isso através da associação em série dos processos biológicos UASB e biofiltros aerados submersos (BF), de forma que cada processo complemente o outro nas suas desvantagens, polimento do efluente e a desinfecção é realizado em um Filtro Terciário e reator Ultravioleta, produzindo um sistema completo e auto-suficiente para o que se propõe. As principais características em comum dos processos adotados (anaeróbios, aeróbios de alta taxa) na ETE são: compacidade, alta concentração de biomassa ativa, idades de lodo elevadas (resultando em pequena produção de lodo), resistência a choques hidräulicos e de carga orgânica e possibilidade de cobertura (evitando problemas com odores e impacto visual).

Desempenho Operacional.
O Desempenho operacional, bem como a massa orgânica diariamente removida na ETE UASB + Biofiltro são apresentados nas tabelas 1 e 2:

 

 

Tabela 1 - Eficiências de SS, DBO5 e DQO do UASB e do BF

EFICIÊNCIAS (%)
ParâmetrosUASBBF
SS 65 79
DBO5 61 79
DQO 55 67

Tabela 2 - de DQO, DBO e SS removidas diariamente no UASB e no BF

MASSA REMOVIDA (kg/d)
ParâmetrosUASBBF
SS 171.6 73,0
DBO5 171.6 66,0
DQO 290,4 158,0

 

 

3 - FLUXOGRAMA DE TRATAMENTO

 

 

 

 O fluxograma da ETE-UASB + biofiltro é composto pelas seguintes unidades:

O processo de funcionamento da ETE compreende as seguintes etapas: pré-tratamento (gradeamento e desarenador), tratamento primário (UASB), tratamento secundário (Biofiltro Aerado Submerso BF) e a etapa final (Filtro Terciário, Desidratação e estabilização do lodo de descarte e o Tratamento do biogás).

1ª Etapa - Pré-Tratamento.
a) Gradeamento: tem pôr objetivo reter o material sólido grosseiro em suspensão no esgoto, para proteger tubulações, válvulas, bombas e outros equipamentos. O gradeamento pode ser feito utilizando grades constituídas pôr barras metálicas paralelas e igualmente espaçadas (de limpeza manual) ou pôr grades mecanizadas (de limpeza mecânica).

b) Desarenador: dispositivo destinado a reter areia e outros detritos minerais inertes, geralmente presentes no esgoto doméstico, e visam proteger bombas à abrasão, bem como evitar entupimentos das canalizações e a sedimentação desse material no reator UASB.

2ª Etapa - Tratamento Primário.
a) UASB: após a desarenação, o esgoto é encaminhado ao reator UASB, onde recebe o tratamento primário, o qual promove uma remoção média de matéria orgânica (DBO5) da ordem de 70%. Em alguns casos pode ser inviável o lançamento direto do efluente anaeróbio no corpo receptor. Neste caso, é necessário que seja incluída uma etapa de pós-tratamento para a remoção dos compostos orgânicos remanescentes no efluente anaeróbio.

3ª Etapa - Tratamento Secundário.
a) Biofiltro Aerado Submerso BF: a principal função dos biofiltros aerados submersos é a remoção de compostos orgânicos e nitrogênio na forma solúvel, contribuindo para uma eficiência global da remoção de DBO5 superior a 90%. O lodo de excesso produzido nos biofiltros é removido rotineiramente através de lavagens contracorrentes ao sentido do fluxo, sendo enviado para a elevatória de esgoto bruto na entrada da ETE, que o encaminhará pôr recalque ao reator UASB para digestão e adensamento pela via anaeróbia.

4ª Etapa - Tratamento Final.
a) Filtro Terciário: é a unidade que produz o polimento final no efluente tratado, propiciando a remoção de DQO, DBO5, sólidos em suspensão e nutrientes (especialmente fosfatos e nitratos) a teores muitos baixos.

b) Desidratação e Estabilização do Lodo de Descarte: o lodo em excesso de toda a etapa biológica da ETE UASB + biofiltro é eliminado pôr descarga hidráulica diretamente do reator UASB e encaminhado para o leito de secagem. A concentração de sólidos totais neste lodo situa-se na faixa de 4 a 6%, devendo atingir valores da ordem de 30% após a desidratação em leito de secagem. O lodo resultante poderá ser misturado com cal virgem na proporção de 400 kg de cal pôr tonelada de lodo (base seca). O lodo calado é estocado em pátio de estocagem, sendo enviado posteriormente para disposição final.

Características do Efluente Final
O efluente final produzido pela ETE UASB + biofiltro atende ao padrão secundário de tratamento e apresenta as seguintes características:
- SS < 22 mg/l
- DBO5 < 30 mg O2/l
- DQO < 90 mg O2/l

Somente após passar pelo tratamento é que é o fluxo tratado é conduzido à um corpo dágua. Pois assim, como há preocupação no sentido de tornar pura a água captada nos rios, fontes ou poços, antes de servi-la à população, o SAAE também se preocupa quanto ao destino final dos esgotos sanitários, sabendo-se que o despejo "IN NATURA" nos rios tem conseqüências danosas na saúde das populações.

 

© Copyright 2009 - Todos os direitos reservados.

Produzido pela

Impacta Soluções Web